Ellon Musk demitiu 80% dos engenheiros de segurança do X

Sabryna Esmeraldo
Sabryna Esmeraldo

A X Corp, antigo Twitter, está sob investigação na Austrália após permitir o retorno de mais de 6.000 contas que tinham sido banidas no país, sendo quase 200 delas por conduta odiosa. Durante o processo, o escritório de eSafety australiano teve acesso à informação de que a empresa de Elon Musk demitiu 80% de seus engenheiros de segurança no ano passado.

A "tempestade perfeita"

Elon Musk X
Imagem: Shutterstock / Angga Budhiyanto

Em uma de suas decisões polêmicas desde que assumiu o comando do ex-Twitter, Elon Musk implementou mudanças que permitiu o retorno de 6.000 contas banidas na Austrália. Com uma investigação em curso contra a plataforma, o escritório eSafety do país teve acesso a preocupantes informações no que condiz à segurança do X.

As informações foram obtidas após, em junho do ano passado, o eSafety emitir uma notificação legal, sob a Lei de Segurança Online, que obrigava a X Corp a dar detalhes sobre sua abordagem para lidar com publicações de ódio online.

Para surpresa do escritório, mesmo sob reclamações de diferentes países sobre a segurança na plataforma, a empresa de Musk revelou uma redução grande nos seguintes setores:

  • Engenheiros dedicados a questões de confiança e segurança: passou de 279, em outubro de 2022, para 55, em maio de 2023
  • Pessoal de confiança e segurança na região Ásia-Pacífico: a equipe sofreu redução de 45%, caindo de 111 para 61 pessoas no mesmo período
  • Pessoal de confiança e segurança global: passou de 4.062 para 2.849 durante o mesmo período, uma redução de 30%
  • Moderadores de conteúdo globais: passou de 2.720 em outubro de 2022 para 2.356 em maio de 2023

De acordo com a comissária de eSafety, Julie Inman Grant, os dados aumentam ainda mais as preocupações sobre a capacidade da X Corp em manter a segurança no X. As chances de crescimento de discurso de ódio e abuso online são considerados alarmantes.

“Você está criando a tempestade perfeita — reduzindo suas defesas, trazendo de volta ex-usuários com histórico de abusos repetidos - e não está aplicando nenhum fator mitigador para remediar o dano”, destacou Grant em alerta.

Os dados expostos no relatório também mostraram que o tempo médio de esperar para a X Corp responder a relatos de conduta odiosa aumentou desde que Elon Musk assumiu em outubro de 2022. A X Corp não emitiu comentários à tentativa de contato do jornal The Guardian Australia.

SAIBA MAIS!

Sabryna Esmeraldo
Sabryna Esmeraldo
Jornalista há mais de 10 anos, a Sabryna se especializou produzindo matérias e tutoriais sobre aplicativos e tecnologia. Consumidora ávida de streamings e redes sociais, adora descobrir as novidades deste mundo.
recomenda: