Explosão solar causa auroras de raios-X em Mercúrio

 William Schendes
William Schendes

Uma enorme explosão solar, equivalente a 40 vezes o tamanho da Terra, atingiu o lado oculto do Sol em 9 de março. A erupção lançou uma nuvem de plasma que atingiu Mercúrio, causando auroras de raios-x no planeta.

Conforme reportou o site Spaceweather.com, o Solar Dynamic Observatory (SDO, na sigla em inglês) da NASA detectou um filamento de plasma que explodiu por trás da direção nordeste do Sol.

Como explica o Space.com, os dados do SDO mostram que a explosão solar foi responsável por liberar uma “ejeção de massa coronal”, uma nuvem de plasma magnetizado e de radiação em movimento rápido.

Estima-se que a erupção de plasma atingiu cerca de 500 mil quilômetros de diâmetro e teria colidido com Mercúrio em 10 de março.

CANYON OF FIRE ERUPTION: A large filament of magnetism stretching across the sun's southern hemisphere erupted today, carving a "canyon of fire" in the sun's atmosphere. NASA's Solar Dynamics Observatory (SDO) recorded the blast, which began around 0200 UT on March 17th.… pic.twitter.com/ELfTyMoBFD

— The Watchmen Earth and Space Connection (@TWESC2023) 18 de março de 2024

Ejeções de massa coronal são comuns em Mercúrio por conta de sua proximidade com o Sol. Inclusive, esses eventos causaram a destruição da atmosfera do planeta e, por isso, ele está completamente exposto à força de explosões solares.

Ainda conforme o Space, quando os elétrons de CMEs atingem a superfície de Mercúrio, eles desaceleram e, com isso, liberam energia de raios-x. O resultado disso é um fenômeno parecido com uma aurora que pode ser visualizada a partir da Terra.

SAIBA MAIS!

 William Schendes
William Schendes
Jornalista em formação pela Universidade Metodista de São Paulo (UMESP). Escreve sobre tecnologia, games e ciência desde 2022. Tem experiência com hard news, mas também produziu artigos, reportagens, reviews e tutoriais.
recomenda: