Apple terá que pagar R$ 3,2 mil por vender iPhone sem carregador

 William Schendes
William Schendes

A 18ª Câmara de Direito Privado definiu por unanimidade que a Apple deverá pagar uma indenização de R$ 3,2 mil por danos e prejuízos morais a um consumidor do Rio de Janeiro.

Como reportou o G1, o processo foi aberto por Matheus dos Santos Pagorim Abreu, que pagou quase R$ 5 mil no celular da Apple que veio sem o respectivo carregador na caixa. Ao entrar em contato com empresa, o consumidor foi informado que teria que adquirir o acessório à parte, vendido no Brasil por R$ 219.

Apple multada por iPhone sem carregador
(Imagem: IA/ Copilot)

Discordando da posição da empresa, Matheus abriu uma ação judicial alegando que a prática se configura como venda casada — proibida pelo Código de Defesa do Consumidor.

Como escreveu o desembargador e relator do caso, Cláudio de Mello Tavares: “O acessório afigura-se essencial ao uso do bem principal, acarretando ofensa patrimonial e desvio produtivo passíveis de indenização”.

Portanto, a justiça definiu que a Apple terá que pagar R$ 219 por prejuízos morais e R$ 3 mil por danos morais.

Procurada por diversos veículos de imprensa, a empresa disse que não irá comentar sobre o caso.

Porém, no processo, a empresa tentou se defender justificando que a informação sobre o carregador não estar presente na caixa é exibida de maneira “clara e adequada”. Além disso, a Apple defendeu que o carregador da própria empresa não é essencial, afinal os consumidores poderiam utilizar “diversas formas para carregar seus celulares”.

SAIBA MAIS!

 William Schendes
William Schendes
Jornalista em formação pela Universidade Metodista de São Paulo (UMESP). Escreve sobre tecnologia, games e ciência desde 2022. Tem experiência com hard news, mas também produziu artigos, reportagens, reviews e tutoriais.
recomenda: