Previsões para 2024: O que a IA revela sobre o futuro?

Adriano Camargo
Adriano Camargo

O que as inteligências artificias podem prever sobre o ano de 2024? Pesquisadores resolveram perguntar para as IAs algumas previsões para o ano que se iniciou, e as respostas foram bastante curiosas.

Os modelos de linguagem, alimentados por Gemini Pro e Amazon, respectivamente, ofereceram insights intrigantes sobre o que podemos esperar. Em uma análise comparativa, esses chatbots foram escolhidos devido ao uso de informações mais atualizadas em comparação com modelos concorrentes, como ChatGPT e Bing, da Microsoft, que dependem de dados mais antigos.

Com isso, conheça algumas previsões feitas por dois chatbots de IA, Bard (Google) e Claude (Anthropic), sobre o ano de 2024!

Avanços biotecnológicos em destaque

O Bard, do Google, antecipou avanços biotecnológicos para este ano, com foco nas interfaces cérebro-computador. O Neuralink, projeto de Elon Musk, deve testar essa tecnologia, proporcionando maior conectividade entre humanos e dispositivos.

biotec neuralink
Avanços em biotecnologia (Imagem: freepik)

Avanços em materiais biocompatíveis e engenharia robótica podem resultar em membros biônicos avançados e exoesqueletos que amplificam capacidades físicas.

O chatbot destaca ainda o potencial das interfaces cérebro-computador (BCIs) para comunicação direta entre o cérebro e sistemas computacionais podem beneficiar áreas como saúde, criatividade e interação em ambientes virtuais.

Medicina personalizada com impulso da IA

O Bard também previu que a medicina personalizada, adaptada ao indivíduo com base no DNA, será impulsionada pela IA. Ao analisar grandes conjuntos de dados genéticos, a IA identificará riscos para doenças específicas, permitindo intervenções personalizadas.

A IA também aprimorará diagnósticos e recomendações de tratamento, antecipando respostas dos pacientes a diferentes tratamentos.

Aumento das tensões EUA-China

Claude, da Anthropic, destaca o aumento das tensões entre EUA e China, especialmente em relação a Taiwan. A possível declaração de independência por Taiwan em 2024 poderia desencadear ações mais agressivas ou mesmo militares por parte da China, aprofundando as disputas geopolíticas.

Tensão mercado Estados Unidos China
Tensão entre as potências deve aumentar (Imagem: freepik)

Estas previsões fornecem uma visão abrangente das mudanças potenciais em várias esferas, desde avanços tecnológicos até desafios geográficos.

Desafios nas eleições americanas

As eleições dos Estados Unidos são sempre disputadas e conturbadas, e este ano poderá se agravar. O Bard, alimentado pelo Gemini Pro, alerta para possíveis ameaças cibernéticas nas eleições presidenciais dos EUA neste ano.

Eleições estados unidos
Eleições americanas sempre surpreendem (Imagem: freepik)

Ataques a urnas eletrônicas, bancos de dados eleitorais e sistemas de relatórios de resultados são previstos, visando minar a confiança no processo eleitoral. Estratégias como uso de bots, contas falsas e deepfakes podem amplificar desinformação.

IA alcançando raciocínio autônomo

Aqui uma previsão que causa preocupação em muita gente: O Claude.ai, apoiado pela Amazon, prevê que os sistemas de IA começarão a exibir sinais de alcançar o status de "inteligência artificial geral" (AGI). Embora o desenvolvimento total da AGI até 2024 seja improvável, demonstrações de sistemas com raciocínio expandido e tomada de decisões mais amplas podem surgir.

robôs autônomos mãos
Teremos robôs inteligentes de verdade? (Imagem: freepik)

Segundo Claude.ai, o avanço é impulsionado por líderes em IA, como DeepMind, OpenAI, Google Brain e Anthropic. O chatbot alerta inclusive sobre comportamentos imprevisíveis dos sistemas de IA, destacando que a automação do trabalho pode superar a capacidade de adaptação dos trabalhadores.

SAIBA MAIS!

Adriano Camargo
Adriano Camargo
Jornalista especializado em tecnologia há cerca de 20 anos, escreve textos, matérias, artigos, colunas e reviews e tem experiência na cobertura de alguns dos maiores eventos de tech do mundo, como BGS, CES, Computex, E3 e IFA.
recomenda: