IA pode prever doenças crônicas ao analisar imagens da retina e da língua

Sabryna Esmeraldo
Sabryna Esmeraldo

Uma nova Inteligência Artificial (IA) desenvolvida na China é capaz de prever a idade biológica de uma pessoa e se ela corre riscos de desenvolver doenças crônicas em seus órgãos. Tudo isso, a partir da análise de imagens em 3D de rosto, língua e retina do paciente.

A IA foi criada por pesquisadores da Universidade de Pequim e a descoberta foi publicada na revista Proceedings of the National Academy of Sciences.

Como a IA é capaz de prever doenças crônicas

IA doenças crônicas
Imagem: Shutterstock / PopTika

A idade biológica se refere ao envelhecimento orgânico dos órgãos, com alguns casos de determinados órgãos sofrerem envelhecimento precoce. Para a realização do estudo, os pesquisadores utilizaram imagens de 14.063 pessoas.

Deste grupo, 11.223 eram saudáveis, enquanto as demais 2.840 tinha doenças crônicas, como diabetes, doença cardiovascular, doença renal crônica, hipertensão, doença coronariana e acidente vascular cerebral.

Conforme explicado no estudo, a análise do nervo óptico observou os axônios como indicadores potenciais da saúde do cérebro. Já a análise do microbioma da língua foi utilizado como indicador da saúde da cavidade oral e do trato gastrointestinal.

A partir desses dados, a IA foi capaz de estimar com precisão a idade biológica de indivíduos saudáveis e perceber quando havia diferenças significativas entre a idade cronológica do paciente e a idade biológica de seus órgãos.

Com um maior índice de diferença entre as duas idades sendo registrado entre os pacientes com doenças crônicas, essa distinção pode ser utilizada para detectar doenças sistêmicas e identificar riscos de progressão de forma fácil e imediata, conforme explica a pesquisa.

Segundo os cientistas, a IA é “confiável para ser usada independentemente ou em conjunto com outros fatores de risco conhecidos para prever a progressão de doenças crônicas relacionadas à idade”. Ainda não há, contudo, uma previsão para que seja de fato aplicada como ferramenta complementar de diagnóstico.

SAIBA MAIS!

Sabryna Esmeraldo
Sabryna Esmeraldo
Jornalista há mais de 10 anos, a Sabryna se especializou produzindo matérias e tutoriais sobre aplicativos e tecnologia. Consumidora ávida de streamings e redes sociais, adora descobrir as novidades deste mundo.
recomenda: