IA como tutora de cães: Coleira inteligente promete treinamento eficaz

Adriano Camargo
Adriano Camargo

Empresas de tecnologia frequentemente destacam os "grandes benefícios" proporcionados pela inteligência artificial, e agora essa inovação está alcançando até mesmo nossos amigos de quatro patas.

A startup Onchip.Ai lançou a HushPuppy, uma coleira inteligente que não apenas identifica quando um cachorro está latindo, mas também auxilia no treinamento desses pets por meio de pequenos pulsos elétricos.

A proposta é simples: quando o cachorro late, a coleira emite pulsos elétricos suaves para indicar que esse comportamento não é desejado. A ideia por trás disso é que, ao longo do tempo, o cachorro associe latir em excesso a essa sensação e reduza o comportamento indesejado.

A startup destaca que esses pulsos elétricos são inofensivos (não são choques e sim vibrações), garantindo o bem-estar dos animais.

Equipada com uma pequena pilha palito, a coleira tem baixo consumo de energia e, além de alertar o cachorro, a tecnologia está conectada ao smartphone do tutor, proporcionando feedback sobre o padrão de latidos do animal.

coleira cachorro
Coleiras tecnológicas serão tendência? (Imagem: freepik)

A tecnologia por trás da coleira utiliza modelos de IA compactos (tiny AI) com algoritmos de compressão para otimizar o uso de dados e a capacidade de processamento. Com um microcontrolador de 32 bits e memória limitada, o dispositivo usa cerca de 50 mil parâmetros no aprendizado.

A IA do sistema é especializada na detecção precisa de latidos, diferenciando-os de outros ruídos comuns. A startup destaca uma taxa de precisão de 99,1% na identificação dos latidos e a capacidade de determinar até a posição geográfica do pet com base na intensidade do latido.

Veja o vídeo de lançamento:

A Onchip.AI enfatiza que a coleira inteligente deve ser usada em conjunto com métodos tradicionais de treinamento e não é recomendada para cães com graves problemas de ansiedade, fobias ou traumas de agressão.

Os resultados da HushPuppy foram tão promissores que a campanha de financiamento no Kickstarter ultrapassou significativamente sua meta inicial de US$ 6 mil, arrecadando quase US$ 40 mil. A recepção positiva sugere um interesse considerável nessa abordagem para o treinamento de cães.

VEJA TAMBÉM:

Adriano Camargo
Adriano Camargo
Jornalista especializado em tecnologia há cerca de 20 anos, escreve textos, matérias, artigos, colunas e reviews e tem experiência na cobertura de alguns dos maiores eventos de tech do mundo, como BGS, CES, Computex, E3 e IFA.
recomenda: