Demissões em massa: Sony corta 900 empregos nos estúdios PlayStation

 William Schendes
William Schendes

A Sony Interactive Entertainment anunciou nesta terça-feira (27) a demissão de 900 funcionários da divisão PlayStation, afetando estúdios como Insomniac Games, Naughty Dog, Guerrila Games e Firesprite.

Além dos cortes, a medida resulta no fechamento do London Studio, responsável pelo desenvolvimento de jogos para o PlayStation VR.

Em e-mail enviado aos funcionários, Jim Ryan, CEO da companhia, justifica os cortes devido a um plano de redução do número geral de funcionários globalmente. Além disso, o executivo explica que, após muitas discussões de liderança, foi determinado que havia necessidades de mudança visando o “crescimento” e “desenvolvimento da empresa”.

PlayStation Studios demissões em massa
(Imagem: Divulgação/ PlayStation)

“A equipe de liderança e eu tomamos a decisão incrivelmente difícil de reestruturar as operações, o que lamentavelmente inclui uma redução em nossa força de trabalho, impactando indivíduos muito talentosos que contribuíram para nosso sucesso.

Após consideração cuidadosa e muitas discussões de liderança ao longo de vários meses, ficou claro que mudanças precisam ser feitas para continuar a fazer crescer o negócio e desenvolver a empresa. Tivemos que dar um passo atrás, olhar para o nosso negócio de forma holística e seguir em frente com foco na sustentabilidade da empresa a longo prazo e na entrega das melhores experiências possíveis para a nossa comunidade.”

- Jim Ryan, CEO da Sony Interactive Entertainment, em comunicado aos funcionários.

A notícia chega após a Sony anunciar a redução da previsão de vendas do PlayStation 5 para o ano fiscal de 2023, pois o console teve vendas que ficaram abaixo do esperado na temporada de compras de final de ano.

Na época, Naomi Matsuoka, vice-presidente sênior da Sony, disse que o PS5 está entrando no último estágio de seu ciclo de vida, portanto, a empresa iria dar ênfase ao “equilíbrio entre rentabilidade e vendas”.

Com isso, a Sony se junta a uma série de empresas da indústria de tecnologia que realizaram demissões em massa desde o início de 2024. Em janeiro, a Microsoft, principal concorrente da Sony no segmento de videogames, demitiu 1.900 funcionários da Activision Blizzard e Xbox.

Na época, Phil Spencer, CEO da Microsoft Gaming, disse que a medida faz parte de um “plano de execução com uma estrutura de custos sustentável” para apoiar o crescimento do negócio.

SAIBA MAIS!

 William Schendes
William Schendes
Jornalista em formação pela Universidade Metodista de São Paulo (UMESP). Escreve sobre tecnologia, games e ciência desde 2022. Tem experiência com hard news, mas também produziu artigos, reportagens, reviews e tutoriais.
recomenda: