China quer limite de 2h por dia em smartphone para menores de 18 anos

Sabryna Esmeraldo
Sabryna Esmeraldo

A China está tentando dar um grande passo para evitar e combater as consequências negativas que o tempo excessivo de exposição ao smartphone pode ter em crianças e adolescentes. O projeto da Administração do Ciberespaço da China propõe um limite de tempo de uso dos aparelhos por dia.

E as regras propostas são rígidas, determinando um tempo limite de apenas 2h de uso diário para menores de 18 anos. E esse tempo é ainda menor conforme a idade do usuário.

O projeto não chega exatamente como uma surpresa para os chineses, visto que o país já possui regras que limitam o tempo que crianças e jovens podem gastar com jogos online. Mas ainda é necessário que ele passe por aprovação e que mais informações sobre sua implementação sejam esclarecidas.

O que o projeto propõe para cada idade

O projeto da Administração do Ciberespaço da China determina diferentes limites de tempo para cada faixa etária, conforme detalhado abaixo:

  • Jovens entre de 16 a 17 anos: apenas 2h de uso por dia
  • Crianças entre 8 e 15 anos: apenas 1h de uso por dia
  • Crianças abaixo dos 8 anos: apenas 40 minutos de uso por dia

Outra preocupação se refere ao uso dos smartphones no período da noite. Para tanto, o projeto prevê a proibição do uso dos aparelhos durante o horário de 22h e 6h.

Há ainda outras regras quanto aos conteúdos que poderão ser consumidos de acordo com a idade de cada usuário. Enquanto jovens acima dos 12 anos poderão acessar notícias e conteúdo educacional, crianças abaixo dos três anos só podem consumir músicas e outros materiais de áudio.

O projeto também prevê exceções para casos de emergências ou uso em contextos educacionais.

Como o projeto deve ser aplicado

A informação que se tem até o momento é de que, caso o projeto entre em vigor, os smartphones precisarão passar por modificações para incluir controle e acesso parental.

Contudo, ainda há muitas dúvidas de como as grandes empresas responsáveis pelos smartphones vão atuar dentro das novas regras. Os aparelhos devem incluir um mecanismo de desligamento automático passado o período de uso permitido? Os pais devem ser os responsáveis por esse controle? Como isso será fiscalizado?

Outro setor que pode ser fortemente afetado caso as regras entrem em vigor é justamente o mercado de aplicativos e jogos. Desenvolvedores como o ByteDance (responsável pelo TikTok) e empresas de games devem precisar se adaptar para produção de conteúdo que se adeque às novas regras.

Como o Brasil lida com o uso de smartphones por crianças

Embora o Brasil não tenha leis para limitar o uso de smartphones, a preocupação com os prejuízos que o longo tempo de exposição aos aparelhos podem ter em crianças e jovens também é grande. Em 2019, a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) lançou um manual de orientação sobre Saúde na Era Digital. Entre as orientações estão:

  • Crianças menores de 2 anos não devem ser expostas a telas, mesmo que de forma passiva
  • Para crianças entre 2 e 5 anos, o máximo de exposição a telas deve ser de 1h por dia, com supervisão
  • Para crianças entre 6 aos 10 anos, o tempo de tela não deve passar de 2h por dia, com supervisão
  • Para jovens entre 11 e 18 anos, o tempo de uso de telas deve ser de no máximo 3h por dia
  • Nada de telas em horários de refeições e 1h a 2h antes de dormir

Além de trazer dicas para como as famílias podem estabelecer esses limites e acompanhar o uso das telas, o documento lista também alguns dos principais problemas do uso excessivo desses aparelhos. Alguns deles são: problemas de saúde mental como ansiedade e depressão, déficit de atenção, transtorno do sono, transtornos de alimentação, sedentarismo, transtornos de imagem corporal e autoestima, risco de exposição a conteúdos impróprios, entre outros.

SAIBA MAIS!

  • Telescópio da NASA encontra ponto de interrogação no espaço
  • Google vai apagar contas inativas a partir de dezembro
  • Que apps consomem mais bateria do smartphone e como evitar
Sabryna Esmeraldo
Sabryna Esmeraldo
Jornalista há mais de 10 anos, a Sabryna se especializou produzindo matérias e tutoriais sobre aplicativos e tecnologia. Consumidora ávida de streamings e redes sociais, adora descobrir as novidades deste mundo.
recomenda: