Casa Branca mantém suspensas as vendas do Apple Watch nos EUA

Adriano Camargo
Adriano Camargo

A Casa Branca rejeitou o apelo da Apple para reverter a proibição de vendas de seus smartwatches nos Estados Unidos. Essa ação é resultado de uma ação de violação de patentes de sensor de oxigênio do modelo.

A Comissão de Comércio Internacional (ITC) determinou previamente que a Apple violou patentes de tecnologia de saúde da Masimo, relacionadas ao sensor de oxigênio no sangue em seus relógios. Segundo o processo, a empresa da maçã adicionou um sensor para medir o oxigênio no sangue em seus relógios em 2020. A Masimo argumentou que desenvolveu essa tecnologia, e que a fabricante do iPhone havia contratado seus funcionários.

Apple Watch 9 series
Modelos continuam proibidos nos EUA (Imagem: Apple)

A decisão da Casa Branca levou a Apple a buscar os tribunais federais, contestando a decisão da ITC e buscando suspender a proibição de vendas enquanto aguarda a apelação. Essa proibição ameaça um negócio significativo para a Apple, que gerou vendas de mais de US$ 40 bilhões em receita no último ano fiscal.

O governo do presidente Joe Biden não deu muita atenção à disputa antes do comunicado da última terça-feira, mas afirmou que a competição é um pilar de economias saudáveis. Ele tem autoridade para intervir e impedir proibições de importação, embora tais ações sejam bem raras.

Uma proibição mais longa atingiria um dos maiores geradores de receita da Apple, ainda mais com sua receita caindo por quatro trimestres consecutivos, a mais longa sequência de queda em duas décadas.

A empresa, que já interrompeu as vendas dos modelos afetados, está tomando medidas para resolver a situação e discorda fortemente da decisão da ITC.

Veja também:

Adriano Camargo
Adriano Camargo
Jornalista especializado em tecnologia há cerca de 20 anos, escreve textos, matérias, artigos, colunas e reviews e tem experiência na cobertura de alguns dos maiores eventos de tech do mundo, como BGS, CES, Computex, E3 e IFA.
recomenda: